Menu fechado

O Jornal Radar Itupeva apurou que nas manifestações em que servidores públicos de Itupeva fizeram uma paralisação de três horas em frente ao Paço Municipal na manhã de ontem(07/06/2018) e hoje(08/06/2018) revelou também alguns fatos curiosos. Funcionários que preferiram não se identificar disseram à reportagem que desistiram do ato quando se depararam com “gente de fora” na manifestação e com algumas pessoas que estavam incentivando a invasão ao prédio da Prefeitura.

Um leitor que é servidor público e que pediu anonimato disse que voltou para a escola municipal em que trabalha depois de verificar sindicalistas de outras cidades, inclusive da Grande São Paulo, que vieram para engrossar o movimento realizado pelo Sindserv de Itupeva.
“Tinha gente de Jundiaí, de Santo André, metalúrgicos de São Bernardo do Campo e até de São José dos Campos.

Eles se apresentaram logo no início da manifestação e ninguém entendeu nada”, comentou o servidor. “Tinha até sindicato de professores de escolas particulares, lá”.
O Radar Itupeva levantou que representantes do sindicato dos professores de escolas particulares de Jundiaí, o SINPROJUN, lideravam parte da manifestação.

O carro de som utilizado na manifestação, uma perua Kombi que chegou carregada de sindicalistas, veio do sindicato dos gráficos de Jundiaí. Na lateral do veículo, em destaque, a logomarca de uma das maiores centrais sindicais, a CUT, ligada ao PT, partido dos trabalhadores. (Foto)

O Sindiserv alegou aos servidores que a Prefeitura fez propostas que “desrespeitavam” a categoria. Em nota, o poder público alegou que apresentou três propostas diferentes, todas “com índices que superavam as perdas inflacionárias do período”, mas que não foram aceitas pelos sindicalistas.

Diante da recusa do sindicato, a Prefeitura já informou aos servidores por meio de comunicado que o valor de R$ 160,00 será incorporado às verbas remuneratórias da categoria conforme compromisso assumido pelo prefeito Marcão Marchi, durante acordo coletivo em 2017, além do índice de reajuste de INPC-A de 2,76%, conforme determina a Constituição Federal.

O medo dos servidores, agora, é de que por conta da situação criada pelo Sindiserv, a questão seja discutida no âmbito judicial. Em casos assim, o Judiciário tem aplicado apenas o índice inflacionário acumulado dos últimos 12 meses, que é de 1,83%.
Nenhum diretor do sindicato itupevense foi encontrado para falar a respeito do assunto.