Menu fechado

Nesta sexta-feira (01), Pedro Parente,  presidente da Petrobras,  pediu demissão do cargo. Em carta enviada ao presidente Michel Temer, Parente diz que sua saída é “irrevogável” e que sua “permanência na presidência da Petrobras deixou de ser positiva e de contribuir para a construção das alternativas que o governo tem pela frente”.

A saída de Parente se dá na esteira da greve dos caminhoneiros contra a disparada dos preços do diesel. A paralisação durou 11 dias e causou desabastecimento generalizado de produtos e serviços no país todo e perdas bilionárias à economia do país.